quinta-feira, 13 de novembro de 2014

FATOS OU BOATOS?

Dez dicas para uma boa investigação 



Por Alan Capriles

Há um velho ditado popular que diz que "papel aceita tudo".  Obviamente, esse ditado é um alerta para quem se precipita em dar crédito a tudo quanto está escrito em jornais, livros, revistas, cartazes, etc. Papel aceita tudo, logo, papel aceita verdades, mentiras, história, ficção, fatos e boatos. Mas, a despeito disso, muitos acreditam em algo apenas porque estava escrito em algum lugar – é o fascínio da escrita sobre um pedaço de papel. Agora pense naquilo que nos é apresentado através de sites, blogs e redes sociais na internet. Pense naquilo que não está escrito num papel, mas numa tela brilhante e bem mais atraente aos nossos olhos, tornando o fascínio ainda muito maior. Ora, sei que pareço ridículo ao dizer algo tão evidente, mas, assim como acontece com o papel, a tela também aceita tudo.

Mas esse lembrete não é desnecessário. Tenho ficado estarrecido com certos textos e vídeos nos quais pessoas leigas (e aparentemente bem intencionadas) dizem absurdos sobre todo tipo de assunto, sem qualquer fundamentação sólida, mas como se fossem experts no tema tratado. O que mais me espanta é que sempre há simpatizantes motivados, que curtem sem pesquisar e ainda compartilham a desinformação! Não sabem discernir o certo do duvidoso e se apressam em acreditar cegamente em qualquer besteira, tornando-se coniventes com a corrente da mentira e, às vezes, do ódio – mas com a melhor das intenções.

Mediante essa crescente boataria que se espalha na internet e que caracteriza toda rede social, nossa constante disposição mental deveria ser o mais prudente ceticismo. Duvidar sempre, ao invés de se apressar em crer ou descrer. Não há outra forma de nos protegermos. Muita coisa que está sendo divulgada não passa de sensacionalismo e manipulação. Há interesses por detrás disso e a única forma de você comprovar o que estou dizendo é através da sua própria investigação. O problema é que muitos têm preguiça de fazê-lo e outros não sabem como realizar uma boa pesquisa. Sendo assim, deixo aqui (apenas para você, que não tem preguiça mental) algumas dicas que utilizo quando corro atrás de um fato, a fim de não ser vítima de um boato:

1º) Seja prudente e não se apresse em crer ou descrer de qualquer notícia, apenas procure ser imparcial. Os fatos que você pesquisar é que lhe farão concluir uma coisa ou outra.

2º) Averigue se o que está sendo dito tem respaldo, ou seja, se o indivíduo que gravou um vídeo, ou escreveu um texto, apresenta provas contundentes do que está sendo afirmado, ou se é somente blá, blá, blá...

3º) Se o indivíduo não apresentou provas, procure por elas. Se apresentou, confira se as fontes são mesmo confiáveis. Não seja preguiçoso, confira tudo!

4º) Se você mesmo tiver que ir atrás das provas, comece pelos mecanismos de busca da internet (Google, Yahoo, Bing) e compare os resultados que surgirem. Isso levará tempo, mas na medida em que você for pesquisando, tanto mais isso irá motivá-lo a prosseguir.

5º) Confira a data de seus resultados e analise-os em ordem cronológica. Muita coisa que hoje é divulgada como se fosse atual, tem às vezes quatro anos ou mais de existência. São assuntos que já foram solucionados, às vezes até desmascarados, mas que ressuscitam graças às redes sociais e à desinformação da maioria, que os compartilha sem qualquer pudor.

6º) Muito cuidado com informações contidas em blogs ou sites de caráter ideológico. Geralmente eles divulgam textos ou vídeos de cunho sensacionalista, que não contém respaldo algum do que está sendo dito.

7º) Prefira recolher informações contidas em sites de notícias que tenham maior credibilidade e depois cruze esses dados, sempre lembrando de conferir as datas. Se houver divergência, continue investigando até chegar a uma inevitável conclusão.

8º) Seja honesto em sua pesquisa e não permita que seus preconceitos ideológicos interfiram no seu resultado.

9º) Divulgue o que você descobriu, mas sempre apresentando provas que contenham dados irrefutáveis. Coloque todos os links no seu texto, ou vídeo, a fim de que seus contatos possam confirmar a veracidade dos fatos.

10º) Tenha bom humor e leve na esportiva os ataques que receberá em troca. Ignore comentários que não contenham uma verdadeira contraprova. Muita gente fica chateada por ter acreditado num boato e, ao invés de lhe agradecer a informação, irá lhe ofender com ataques pessoais. Aproveite para treinar sua paciência, tolerância e respeito para com o próximo.

Encerro aqui minhas dicas para uma boa investigação. Espero que lhe seja útil e que, assim como eu, você também seja mais cuidadoso na divulgação de informações e notícias. Talvez possamos contribuir para que haja um pouco mais de bom senso na internet. Não que eu tenha muitas expectativas nesse sentido. No final de contas, cada um é livre para acreditar no que quiser. Uns acreditam em fatos, outros, em boatos. E, só pra constar, a escolha também é sua.

Alan Capriles

Nenhum comentário: